Faleiro vai fabricar pão de queijo para food service

De olho no mercado de pão de queijo, Faleiro se prepara para completar seu mix de produtos.
2 de October de 2017
CEO da faleiro é convidado a falar sobre food service no maior evento do segmento de postos e conveniência do mundo!
18 de October de 2017

Faleiro vai fabricar pão de queijo para food service

Nova linha de produção será construída para aplicar o projeto

A Faleiro começou como um bufê na década de 1950 sendo, atualmente, uma das mais importantes empresas de alimentos congelados do país. A empresa, sediada no bairro Califórnia, região oeste de Belo Horizonte, está apostando na mais tradicional das iguarias mineiras, o pão de queijo, para completar sua linha de produtos. Presente em mais de oito mil pontos de venda, quer alcançar, inicialmente, o mercado de food service, principalmente padarias e rotisseries dos supermercados e conveniências.

Antônio Faleiro Neto, diretor da empresa, disse que a decisão de lançar o novo produto está embasada em um rigoroso estudo sobre os hábitos de consumo relativos ao pão de queijo encomendado à ECD de São Paulo. A pesquisa revelou que, apesar do pão de queijo ser um produto mineiro, Minas Gerais aparece em quarto lugar do mercado em volume, com 4.364 toneladas consumidas por mês. Em primeiro lugar está São Paulo, com 10.211 toneladas, seguido pelo Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, que têm o consumo de 5.920 e 4.854 toneladas, respectivamente.

A apuração dos dados revelou que a venda de pão de queijo é quase quatro vezes maior que a de empadas – considerada o segundo salgado mais vendido- nas lojas de conveniência. Analisando 7.366 lojas brasileiras, descobriu-se que o consumo de pão de queijo é de 120 quilos mensais por cada uma. As empadas aparecem com 32 quilos, seguidas por tortinhas e folhados, que ficam em terceiro lugar com 28 quilos.

“Para entrar em um mercado tão competitivo, precisávamos de um estudo como esse. No Brasil existem mais de seis mil fábricas de pão de queijo, estando as maiores em Minas Gerais”, afirma Faleiro Neto. O diretor revelou que o mercado é bom para a empresa, por já terem produtos complementares. “O pão de queijo é um excelente produto para café da manhã. Praticamente todos os hotéis e padarias pararam de produzir o próprio e começaram a buscar o industrializado. Isso demonstra o tamanho do mercado nacional”, explica.

Para implementar a linha de pães de queijo congelados, a Faleiro está construindo uma nova linha de produção, além de investir em novos equipamentos e na contratação de mão de obra. O objetivo é que os pacotes cheguem aos food services ainda em 2017. Contudo, outros detalhes do projeto ainda não foram divulgados.

Faleiro Neto afirmou que o processo deve ser feito com muita cautela. Segundo ele, não entraram no mercado há mais tempo pela ausência de estrutura. A farinha de trigo, principal insumo dos salgados, não tem tanta relação industrial com o polvilho, matéria prima do pão de queijo. Assim, linhas de produção independentes são necessárias. “Temos que fazer tudo certo. Vamos aproveitar a nossa distribuição, que conta com mais de oito mil pontos de venda, para entrar no mercado”, completa.

Todavia, o esforço não trará resultados se o produto não agradar o consumidor. Existem alguns fatores crucias que impactam na decisão da compra. Apesar de a qualidade ser o primeiro deles, a praticidade, sabor e preço também são importantes.

“Qualidade é o que todo mundo espera. Então, é preciso oferecer mais que isso. Temos que entender, por exemplo, qual a gramatura ideal e a frequência de compra. A pesquisa mostrou que o pacote deve ser de um quilo, com frequência semanal. Isso tem a ver com a velocidade de consumo e espaço para estocagem, entre outros fatores. Tudo isso deve ser analisado para que o projeto dê certo”, analisa Faleiro Neto.

Comments are closed.